sábado, 22 de junho de 2019

FERNANDA DO VALLE - A PRETA FERNANDA



ACap.


"... Memória da Presença Africana em Lisboa. Homenagem a Fernanda do Valle Atividade: Pretendemos implementar no Campo de Santana um busto em pedra e bronze, com cerca de 1,80m, e uma placa identificativa sobre Fernanda do Valle. Fernanda do Valle: Fernanda do Valle, pseudónimo de Andresa do Nascimento, nascida na Ilha de Santiago (Cabo Verde) em Maio de 1859, foi uma notável figura popular da Lisboa do século XIX e inícios do século XX, hoje infelizmente esquecida. Sob o pseudónimo de Fernanda do Valle, registou as suas memórias num livro intitulado Recordações d'uma Colonial (Memórias da Preta Fernanda), publicado em Lisboa, em 1912, por A. Totta e F. Machado. As “Recordações” foram reeditadas em 1994 pela Teorema, onde se lê: “cabo-verdeana que foi uma das mais conhecidas cocottes lisboetas dos finais do século passado e do princípio deste (XX) são também um magnífico retrato da Lisboa elegante, galante e boémia da época". Foi célebre toureira que frequentou as praças de touros lisboetas, entre elas as Praças de Algés e do Campo de Santana, esta última construída em 1831 e demolida em 1891. Nas suas memórias revela como terá sido a modelo para a figura de uma mulher que está na base da estátua que homenageia o Marquês de Sá da Bandeira, da autoria de Giovanni Ciniselli, e representa uma das grandes decisões do Marquês - a abolição do comércio negreiro português e da escravatura no Império Português. A mulher com uma criança ao colo, traz no tornozelo as grilhetas de escravatura quebradas, simbolizando um futuro de liberdade. Fernanda do Valle justifica a escrita das suas memórias desta forma: “para que não me seja negado o logar, que de direito me pertence nas páginas imorredoiras da história”.» [Obra: “Recordações d’uma Colonial. (Memórias da Preta Fernanda).”] Contexto na cidade e escolha do local: No Campo de Santana esteve localizada uma Praça de Touros, de 1831 a 1891, local de encontro e diversão de inúmeros africanos de Lisboa, onde Fernanda do Valle toureou inúmeras vezes. Esta proposta insere-se no contexto de um projecto em curso, financiado em parte pela Câmara Municipal de Lisboa, que prevê a colocação de 20 placas, 1 busto e 1 estátua, com vista à valorização da Memória da Presença Africana em Lisboa. Objetivos: > Promover e apoiar ações que visam a representação de portugueses importantes, de origens africanas e desconhecidos na toponímia lisboeta > Dinamizar o espaço e a memória histórica africana na cidade de Lisboa > Celebrar os espaços da cidade onde se praticavam as tradições do Fado Dançado... " (daqui)